domingo, 8 de novembro de 2009

Notícias...

Recebi dois e-mails da mãe do meu filho Gonçalo. Pasmem! Eu fiquei pasmado com o seu conteúdo, a vergonhosa forma de escrita e, principalmente com o vazio de notícias a simular notícias. Difícil, muito difícil de entender mas com o objectivo de sempre: Alienação parental!
No primeiro e-mail, logo após a falta à conferência de pais, a mãe do Gonçalo diz que o menino está bem de saúde e vai bem na escola!? Sim? Isso seixa-me feliz mas não descansado...Seis anos depois de tantas inverdades preciso dos comprovativos que o acordo lavrado em Tribunal prevê. Não confio na mãe do meu filho Gonçalo, não confio e não tenho porque confiar. Ademais, nesse tal e-mail ainda se diz que não tenho telefonado ao Gonçalo! Fantástico! É preciso ter muita falta de senso para escrever assim. Tenho ligado ao Gonçalo diariamente, quase sempre sem sucesso. Para o comprovar, porque estamos no meio de um tolo litígio, guardo as facturas das tentativas de chamadas que vão para o voice mail, do pagamento das sms e guardo ainda referência a datas, horas, locais onde estava, pessoas que testemunharam a tentativa de contacto e referência a contactos feitos de seguida também para amigos que estão em Angola, enfim tudo quanto servir para mostrar ao nosso filho que nunca desisti dele.
Respondi ao mail. Achei que era minha obrigação reiterar a necessidade que tenho de falar com o meu filho, de o ver, de trocar impressões com ele, de saber da sua saúde e desenvolvimento escolar. Recebi nova resposta...Estou com vontade de a colocar aqui.
Uma vez mais, com uma descuidada forma de escrita, mentiras, inverdades e...um vazio de notícias!
Passaram mais de dois anos, mais de dois anos!
A um domingo, com o João a sorrir ao meu lado e o meu pensamento a buscar sobre o que estará a fazer o Gonçalo.
No quarto do meu filho mais velho vai crescendo em número os presentes que aguardam a sua visita. Por cá estamos entusiasmados com o aproximar do mês de Dezembro e ansiosos por o voltar a abraçar, por com ele partilhar um milhão de novidades. Ao longo do ano fomos comprando uma ou outra coisa que achamos interessante e agora começamos a preparar o Natal...com muita saudade.

8 comentários:

Anónimo disse...

É por vezes... Complicado, vir visitar o teu blog á espera de encontara uma boa noticia...
E deparar que infelizmente, nada.
Calma´, é palavra que já nos cansa e nada faz, eu sei, mas é a lei da vida, que sempre e para sempre iremos respeitar.
Porque sabemos que tudo tem o seu tempo... Tudo!

BESOS ENORMES

TITA KIKO VI

jaime roriz disse...

Eu tenho uns conselhos para os homens, tendo em conta o actual quadro legislativo.

1 - Não tenham filhos.
2 - Se não conseguir cumprir o conselho anterior e tiverem filhos, não lhes liguem nenhuma, não se dediquem, nãos os amem.
3 - Se não conseguirem cumprir o conselho anterior, não se divorciem em caso algum.
4 - Se não conseguirem cumprir nenhum conselhos dos anteriores garanto-vos que têm a vossa vida destruída.

Shakti disse...

Nunca vi nada assim...cada vez mais acho tudo isto irrisório...nem sequer falo da pessoa que se diz mãe do teu filho mais velho...

bj cheio de força !

Odele Souza disse...

Tomara que tenhas boas notícias para o Natal.

Forte abraço.

Martinha disse...

Quando o seu filho chegar, mais do que presentes, muito mais do que presentes, abrace o seu filho com muita força, converse muito com ele...leia-lhe a alma e o pensamento. Isso sim... os afectos, o estar disponível, compreender o que ele sente no meio de tudo isto e ao mesmo tempo, dizer-lhe você também como se sente.
Os afectos, serão sem dúvida, os melhores presentes de Natal, aqueles que lhe ficarão guardados na memória para sempre.

Jaime Martins disse...

Caro Sérgio:
Como entendo a sua revolta! Como entendo a sua mágoa. As palavras perdem-se e reduzem-se a uma insignificância perante a dor que causa o silêncio dos que amamos, sobretudo quando esse silêncio é imposto.
Nesta breve passagem por este seu blogue, percebi claramente o que está a passar. Não escondo também o meu espanto pelo comentário crítico e irresponsável... como é fácil ser brejeiro, isento de identidade!
E tão denunciado ao mesmo tempo...
Deixo-lhe neste registo um abraço solidário.

Jaime Martins disse...

Caro Sérgio:
Como o entendo. Como entendo a sua mágoa. As palavras perdem-se e reduzem-se a insignificância, quando lidamos com o silêncio dos que amamos, sobretudo se esse silêncio é imposto!
Numa curta visita a este seu blogue, percebi o que está a passar. Não escondo o meu espanto por um comentário irresponsável. Como é fácil ser brejeiro escudado no anonimato, mas ao mesmo tempo, a meu ver, tão denunciado...
Diz o povo, que o tempo é bom conselheiro. Mas há tempo que passa mais depressa, e ao mesmo tempo custa tanto a passar... e quando damos por ela, já passou sem ter passado!
Deixo-lhe neste registo um abraço solidário.

Inês disse...

Presumo e desejo que estejam a ver programa na SIC. Tudo claro. Vossa história vezes sem fim.