segunda-feira, 16 de novembro de 2009

"Filhos de pais em guerra"

Presumo que muitos dos que por aqui passam tenham visto, esta noite a reportagem da SIC denominada "Filhos de pais em guerra". Eu vi! Aqui por casa, naturalmente estávamos atentos e não conseguimos tirar os olhos do televisor. O nosso telefone tocou. Familiares e amigos aconselhavam a reportagem que nós já estávamos a ver praticamente sem respirar.
Uma palavra especial para a equipa que desenvolveu aquele trabalho. Parabéns! Parabéns porque, notoriamente, na óptica de alguém que pouco entende sobre jornalismos, em boa verdade na óptica de um utilizador, desenvolveram um trabalho absolutamente imparcial e rico, muito rico em emoções, em factos, em verdades que tanto custam. Uma reportagem que me encheu de esperança.
Uma palavra especial para a Diana e para a Inês. A Diana que, com a doçura própria dos 15 anos me deu a esperança de que o Gonçalo sempre me saberá amar e nunca me esquecerá. A Diana que me fez acreditar que o meu filho nunca acreditará se alguém lhe falar sobre mim, se alguém lhe disser algo que comigo nada tem haver. A Inês porque não desistiu e foi capaz de sorrir sempre e nunca, mas nunca pensou em si antes de pensar nos filhos. É isto que quero ser para o Gonçalo: Um bom pai que, por tanto o amar se limitará a lutar para o ter perto de si.
Acabei por me rever em tantas partes desta reportagem. Acabei por me lembrar de momentos e por me imaginar ali, em frente a uma jornalista a contar a minha história. Podia ter sido eu!
Eu sou exactamente aquele pai que há um ano não vê os filhos! Sim...eu sou como ele. Nós os dois temos uma mesma história. Apreciei a tranquilidade das suas palavras embora, com mágoa notei a tristeza no som da sua voz e no profundo do seu olhar. O Gonçalo tem 10 anos. Como seria se eu só o voltasse a ver aos 12 ou 13 anos? Não consigo imaginar o Gonçalo a não me acreditar. Aliás, estive, se bem se recordam 14 meses sem ver o meu filho e, no dia 6 de Dezembro de 2008 quando o abordei ele nem hesitou em acompanhar-me. Esta é a imagem que reservo e que me permite imaginar que sempre será assim.
Para a minha história eu escolheria um outro titulo porque, em boa verdade não me sinto em guerra. "Pai que não desiste de ser pai"!

18 comentários:

Ana disse...

Olá Sérgio
Tambem vi a reportagem,e, lembrei-me de si, lembrei-me do seu filho Gonçalo.
A sic está de parabens, por esta reportagem e por outras que tem transmitido,em defesa do superior interesse da criança.
Acredito que o Sérgio nunca irá desistir de ser pai!
PAI NUNCA DESISTE!
Um abraço

Eu e Ela disse...

Bom dia,

Eu também vi e também me lembrei da vossa história.
São coisas, de facto, que não deviam existir nunca.

Torço muito para que a vossa história tenha um final feliz. Muita força!

Cumprimentos.

Eu disse...

Caro Sérgio,

Como é obvio tambem vi a reportagem e tel como aconteceu consigo, revi-me em tantas situações retratadas.
De facto um grande momento de jornalismo.
Mantenho aqui as palavras que me têm acompanhado ao longo do meu processo: "Pai nunca desiste".
Acredito que, tal como eu, continuará sempre a lutar pelo que acredita ser correcto que é o melhor e o mais equilibrado para o seu filho.

Um abraço

Filipa disse...

Não vi a reportagem, mas vou tentar aceder a ela no site da SIC.

Beijinhos

Filipa disse...

Sem dúvida, uma fantástica reportagem que retrata o drama da alienação parental. É lamentavel que os progenitores não consigam perceber o mal que fazem aos filhos impedindo-os de viverem a sua infância de uma forma tranquila e apoiados por ambos os pais.

Triste é também, que o responsavel pela alienação conte com o "Estado" como cumplice, dadas as manobras dilatórias possíveis.

Esta é uma triste realidade, que tanto sofrimento causa e tanta injustiça revela.

Beijinhos

Aqui deixo o link para quem não viu:

http://sic.sapo.pt/online/video/informacao/Reportagem+SIC/2009/11/pais-e-filhos-afastados-na-guerra-do-divorcio16-11-2009-232533.htm

Shakti disse...

Também vi e lembrei-me do teu caso...tocou-me imenso por ser filha de pais separados...até fiz naquele momento um post no meu blog...continua a ter esperança...

bj

mamie2 disse...

Não costumo comentar, mas não posso deixar de o fazer!

Também eu me lembrei de si e também gostei muito da reportagem, embora me tenha deixado um amargo de boca, ver como certas "mães" tratam os filhos e os "amam"! É doentio!

Coragem, espero que o seu Gonçalo tenha o seu abraço rapidamente! - bem o merecem, os dois!

Bjocas

Anónimo disse...

Para quando um abaixo assinado para que, sempre que um divórcio envolva crianças, se accione incondicionalmente e imediatamente apos o primeiro passo processual a mediação familiar e o acompanhamento "on line" do regime de visitas?

Anónimo disse...

Parabens pelo programa, é altura de a bola de neve crescer exponencialmente até esmagar toda a inércia e hipocrisia.
É dever de todo o ser humano defender as crianças.

Nós os cinco disse...

Ola
Tambem vi a reportagem e lembrei-me logo da tua Historia, ja tinha dado a pouco tempo num programa da manha na sic, casos identicos.
Acredito que se tu nunca desistires o Gonçalo tambem não.
FELICIDADES

fénix renascida disse...

Também vi a reportagem: lembrei-me da sua história (acredite que estou solidária consigo) e da minha própria história.
Já tentaram convencer a minha filha de que não sou a pessoa que ela julga, mas ela própria é peremptória em dizer que não acredita em nada do que lhe dizem.
Para que a reportagem estivesse completa era bom ver a alienação parental por parte de quem não detém a guarda (que também a há!!!), a não ser que haja uma segunda parte, desta vez incidindo nos pais que não detém a guarda (eu sou um deles, recordo).

Anónimo disse...

ÉS UM GRANDE IMPOSTOR, UM MANIPULADOR E UM HIPÓCRITA. Um dia a pessoa que escreve os textos vai entender.

ZEN

Anónimo disse...

anda vais ter o teu filho espera sentado ó anormal...

Anónimo disse...

Eu sou outro Pai alienado pela mãe das crianças e o Tribunal nada faz.

Enquanto não nos unirmos e lutarmos pelos nossos direitos de Pais e, sobretudo, pelos direitos dos nossos filhos a terem uma Mãe e um Pai não vamos a lado algum.

Leiam e assinem, caso concordem com o teor da mesma, obviamente.

Peço-vos que a divulguem junto dos vossos contactos.

Abraços


Petição Em favor dos menores, igualdade entre progenitores.
Em favor dos altos interesses dos menores filhos de progenitores separados, que haja igualdade entre progenitores, que haja igualdade de acesso dos menores a cada um dos progenitores, que os progenitores tenham obrigações, direitos e deveres igualis em relação aos menores, para que se diminua a possibilidade de manipulção da opinião dos menores, por parte de um dos progenitores, sobre o outro progenitor, para que se diminua a possibilidade de os menores virem a sofrer da "síndrome de alienação parental", para que se elimine a possibilidade de exploração financeira por parte de um dos progenitores, em relação às pensões de alimentos, que devem ser igualitárias e transparentes, para ... muitos outros aspectos injustos que se permitem em Portugal, com a anuência da própria Justiça, sobre as políticas da família. Tal como se faz em outros países ditos avançados, pai e mãe têm a mesma importância para os menores e devem estes ter acesso igual a pai e mãe, não previligiando um deles. Que se cumpra efectivamente, operacionalmente, legalmente e financeiramente o texto da Constituição que se refere à igualdade entre os cidadãos que compõem o Estado. É preciso acabar com o sofrimento dos menores privados de acesso a um dos progenitores e é preciso acabar com o sofrimento dos progenitores que ficam privados do acesso aos seus filhos.
Os Peticionários
http://www.peticao.com.pt/igualdade-entre-progenitores

Saudações Parentais
Luís Uva

Associações que defendem esta causa:
Pais para Sempre
Acolher
e está outra a ser criada.

Anónimo disse...

Também me sinto assim: um Pai que, apesar de tudo o que a Mãe faz e com que o Tribunal pactua não desiste de ser Pai e de os seus dois filos terem direito a um Pai ao longo da sua vida.

Força!!

Um abraço
Luís Uva

Ana Andrade disse...

É terrivel, ver como o anonimato pode esconder actos de tamanha cobardia... E é fantástico, ver como este pai não tem receio de demonstrar que, apesar da sinceridade e honestidade das suas palavras e dos seus actos, ainda há quem pense que é através de injúrias que chega a algum lado!!
Absurdo, digo eu...

Anónimo disse...

Estes comentarios anonimos,sao do mais triste que ha!
Mas voces "anonimos", nao tem mais nada para fazer?
Anormais,parvalhoes!!!!

Acham que este Pai precisa de comentarios deste genero?!
Este Pai luta por um filho...um filho que esta longe...
Crescam!!!!

Para ti Sergio,uma abraco bem forte e que o vosso desej se realize.

Ana e Sammy

Anónimo disse...

gostei acho que os media estao a fazer um bom trabalho!
o meu marido tambem sofre!
tambem mae nao deixava o pai visitar a filha na escola!parecia que ele era um monstro!
agora foi que a mae viajou para o brasil no natal e no ano novo e nunca pode falar com a filha porque ela sempre nao estava!!
A mae chegou a portugal e nem deu satisfaçoes ao pai!so se soube que a menina estava em casa porque o pai ligou para a escola!!
assim como existe um projecto de lei no brasil tambem podiamos fazer um!!