sexta-feira, 24 de abril de 2009

...super herois telepáticos!?

…super herois telepáticos!?
No dia 22 de Abril, de forma inesperada consegui falar com o Gonçalo!
Ao final da tarde, perto das 19h00m, depois de muitas tentativas de contacto e, uma vez mais na sequência de um mail que dirigi ao companheiro da minha ex-mulher utilizando, para o efeito os endereços disponíveis na página do tal alegado hotel, consegui finalmente falar com o nosso filho!
Confesso que este telefonema me deixou pouco tranquilo e muito angustiado. O Gonçalo é uma criança muito afável, conversador e a precisar de muita atenção. Durante o telefonema conversamos sobre a escola e a possibilidade de ele vir a Portugal na próxima pausa lectiva, em Maio. A determinada altura eu e a Xana, com o telefone em alta voz, começamos a ouvir uma voz masculina que, em tom elevado disse “Diz a esse tipo que aqui a escola é seguida e desliga que estás a gastar dinheiro!”. Tipo? Eu? Equívoco falar assim sobre mim. Equívoco falar assim com uma criança como o Gonçalo. Eu e a Xana ficamos com a sensação de que o meu filho ficou a chorar e, para não o afligir nem prejudicar de imediato nos despedimos, dissemos para ficar descansado que continuávamos a ligar e a gostar muito dele. Desligamos!
Coração desfeito e vontade de adormecer por mil horas!

Entretanto ontem, por curiosidade e cautela decidimos ir ao Tribunal. Surpresa: Conferência de pais marcada para o próximo dia 6 de Outubro de 2009! Pois bem, temos uma certeza…a decisão sobre o incumprimento da mãe que se iniciou em Dezembro de 2007 não será tomada antes de Outubro de 2009! Quase dois anos depois …
Curiosidade: Foi no dia 6 de Outubro de 2008 que soubemos do João! Nesse dia descobri que voltaria a ser pai…Há coincidências? Gostava de acreditar que é um sinal de positividade e de decisão. A ver vamos!

Entretanto, pela primeira vez em seis anos recebi uma comunicação, via mail da minha ex mulher que transcrevo retirando apenas, porque a isso por lei estou obrigado os dados pessoais que a ela dizem respeito:
“Boa tarde, venho por este meio informar o estado de saúde do meu filho Gonçalo, visto que é fundamental para um pai, quer esteja presente ou ausente saber como se encontra o filho. O Gonçalo apresenta-se em óptimas condições de Saúde. Tal como referido em e-mails anteriores pelo meu marido, o Gonçalo tem um óptimo desenvolvimento escolar, tendo assim completado com sucesso o 3º ano escolar. Iniciou em Fevereiro de 2009 o 4º ano de escolaridade com óptimas informações da parte da professora. É um aluno muito empenhado no seu trabalho, uma criança feliz, não tendo assim motivos de preocupações maiores. Compreendo a preocupação por parte da família paterna, mais propriamente com o pai do meu filho, pois também sou mãe de família e acima disso sou uma pessoa tal como todas as outras que têm sentimentos, obrigações, e direitos.
Agradeço que quando quiser saber algum assunto relacionado com o meu filho me contacte a mim. Visto que por vezes não consegue contactar para Angola a fim de falar com o meu filho ou saber noticias dele, contacte para o meu número de telemóvel português, telefone este que tem conhecimento prévio. Volto a frisar que o local de trabalho do meu marido não é local para crianças, não obtendo assim qualquer informação do meu filho, as pessoas mais indicadas sou eu, mãe do Gonçalo, a fim de fornecer informações, agradecia assim que me contactasse quando necessário.
Caso tenha perdido o meu contacto de telemóvel, o número é o (…) poderá também contactar-me via e-mail.
Aguardo resposta da sua parte,
Com os melhores cumprimentos (…).”
…e eu respondi:
“Em primeiro lugar agradeço as informações constantes do mail infra que, contrariamente ao que referes me são agora prestadas pela primeira vez. É falso que o Senhor (…), teu companheiro me tenha dirigido qualquer e-mail. De qualquer forma, se o fez terei todo o gosto que me reenvie esses mencionados mails dessa forma os comprovando.
Relativamente ao que agora referes, importa dizer:

Folgo saber que o nosso filho está bem de saúde e não padece de nenhuma maleita. Ainda assim, salvo o devido respeito entendo que esta informação deverá ser prestada através de relatório médico devidamente elaborado e assinado pelo pediatra que tem vindo a acompanhar o Gonçalo. Quanto a este ponto, solicito ainda que me confirmes a veracidade ou não da informação que me transmitiram de que o nosso filho padeceu de Paludismo o ano passado.
Muito me apraz saber que o Gonçalo tem tido sucesso escolar. Não obstante, naturalmente que apenas considerarei esta informação quando prestada através de relatório elaborado pelos docentes que o acompanharam no 3º ano e o acompanham agora no 4º ano. Para além disto, como por certo compreenderás pretendo informações oficiais sobre o estabelecimento de ensino e o sistema educacional em que está inserido o nosso filho.
Entretanto, reitero tudo quanto disse na carta enviada anteriormente para a tua residência em Portugal, mormente no que concerne ao facto de não ter sido confiada a guarda do Gonçalo ao teu companheiro. Acresce que, como referido na mesma missiva, aguardo informações quanto à forma como vamos proceder para agendar a visita do Gonçalo na pausa lectiva de Maio próximo.
É contigo que tenho tentado contactar para obter informações sobre o Gonçalo mas, até à data sem sucesso. De uma ou de outra forma continuarei a tentar, aproveitando o que referes no mail e utilizando o mencionado número de telefone.
Relativamente aos contactos com o Gonçalo, dado que não tem sido possível falar com ele através do número indicado, para que número devo contactar? Onde está a residir o nosso filho? Quem cuida dele quando não está em aulas tendo em atenção que o local de trabalho do Senhor (…) não é, como dizes indicado para crianças?
Não posso deixar de demonstrar a minha estupefacção e inconformismo pelo facto de saber que o Gonçalo está, de facto em Angola enquanto tu, mãe a quem foi confiada a responsabilidade parental permaneces em Portugal. Relativamente a esta questão reitero tudo quanto disse na carta remetida anteriormente.
Continuo a aguardar as informações em falta designadamente a declaração sobre a prestação de alimentos paga para efeitos de IRS e a indicação da morada para a qual devo enviar os próximos cheques ou vales postais.”

…e estamos assim! Continuamos a aguardar diligenciando para onde conseguimos. Já contactamos a Embaixada de Angola em Portugal e o Consulado Geral de Angola no Porto solicitando informações sobre a legalidade da estadia do Gonçalo em Angola sem a companhia do detentor das responsabilidades parentais. Já providenciamos junto das autoridades Angolanas no país no sentido de perceber o mesmo. Continuamos sem parar e muito menos desistir porque, acredito, somos capazes de fazer o Gonçalo mais feliz aqui, em Portugal!

O João cá continua com as suas graças de nascituro e a mexer imenso.

A todos muito obrigado pelo apoio,
Um abraço

25 comentários:

Polar Azul disse...

Fiquei sinceramente estupefacto com o que aqui é relatado. Os seres humanos podem de facto ser muito insensíveis.Espero sinceramente que tudo corra bem para ele - quem mais interessa no meio deste conflito.

kel disse...

Imagino a tua angustia, ou melhor, felizmente não posso imaginar mas estou solidária contigo como sabes.
Fiquei parva com o email que essa senhora te enviou e acho que é duma lata que só visto. Está a tentar remediar o quÊ? será que está a sentir-se ameaçada? já nem sei o que pensar mas continuo com fé e acredito que em breve vais ter o teu filho ao teu lado para sempre.
Beijocas para voçÊs!

Cindy disse...

Acredita que me vieram as lágrimas aos olhos quando li sobre o teu telefonema... é de loucos imaginar uma situação assim... impensável mesmo... um beijo e bom fds!

Anónimo disse...

Muito bem respondido!
Há pessoas com uma lata imensa e com uma ainda maior pobreza de espírito.
Apesar de ser difícil, eu sei, continua a acreditar na Justiça e que um dia esta será feita...tarda é demais...
Um beijinhos para vocês.
Betinha

Elisabete disse...

A arrogância das pessoas é inacreditável.
A forma como a (in)justiça deste país funciona é revoltante.
Começam a faltar as palavras para tal situação.
As k vão estar sempre presente, é o apoio e a convicção que no fim os vencedores serão o Gonçalo e vcs, k o terão de volta para sempre!
Continua a lutar!
E o João vai adorar o mano e o Gançalo ser um irmão mais velho excelente!
Bom fim-de-semana e beijinhos de nóis 3!

Nós... disse...

Completamente estupefacta com o que li!!!
É possivel essa situação estar no ponto em que está?
Como é que os nossos tribunais nada fazem?
Onde está a preservação dos interesses da criança?

Sergio e Xana muita, muita força mesmo, tenho a certeza que vão conseguir!
Ao João um beijinho e que contunue forte, está quase :)

Beijinhos nossos para todos

Cresce barriguita...cresce!!! disse...

pois amigo sergio....imagino o sufoco e a dor que deves estar agora..se por um lado é duro nao falar com ele..por outro a angustia de o sentir triste e infeliz....duro ...durissimo...capaz de nos corroer por dentro...entendo-te!!!Não consigo entender...juro que não!!! Sou mae e galinha mesmo daquelas super galinhas...amo o meu filho daqui até ao infinito...jamais conseguiria vê-lo sofrer assim..e se por acaso não o quisesse comigo...porque entregá-lo a OUTROS??? possas...que injustiças!!
Vamos acreditar, que o GONÇALO está bem...que é um menino FELIZ..e que tu vais conseguir a tal visita agora ok??? Vamos rezar!!
Qto ao email...no comments....nem tenho palavras!!!
muitos beijinhus e festimhas na barriguinha da xana!!!

Anónimo disse...

É sempre muito gratificante e satisfatório quando, as pessoas nos
entendem... As nossas necessidades, preocupaçoes e sofrimentos, aqui só me faz especie é uma coisa...

A constante atitude contraditória da mãe do Gonçalo.

Quem ler este blog pela primeira vez, vai pensar, que mãe querida, tem cumplicidade com o pai na educação do filho, mesmo estando separados...

Já nem sei há quanto tempo isto se mantem, mas só quero deixar aqui um lembrete...

Um colo de mãe...
Um carinho de pai...

São insubsituiveis, neste momento o Gonçalo nao tem nenhum dos 2.

BEIJOS MEU PEQUENO GRANDE HOMEM.

TITA KIKO VI

Anónimo disse...

O tribunal tem de te convocar formalmente para a conferência de pais.


Dou-te 1 conselho de outro pai objecto, tal como tu, de alienação parental e da total incúria por parte dos nossos tribunais.

Vai para a Comunicação Social se queres que haja o mínimo de Justiça; aí a Justiça é obrigada a reagir, entendes?

Eu n o fiz, por pudor me por confiança na Justiça e estou m.to arrependido por n o ter feito...

Um Abraço
Luís

Ricardo Hollerbusch disse...

Que pesadelo Sérgio que pesadelo... Estamos todos atentos ao desenrolar da situação e estamos todos contigo e com o teu filho.
forte abraço.

1gota disse...

mega, hiper glup! :(

Nem sempre comento, porque estaria sempre a bater na mesma tecla.
A cada relato teu fico mais estupefacta com a crueldade desde sistema judicial português. Mais 6 meses de espera??! Nenhuma atitude? Nenhuma resolução? Nenhuma penalização? Onde estão os teus direitos? Onde estão os direitos do teu filho?
A atitude da mãe (?!!!! poderá ser chamado este nome?!!!!) é incompreensível. Se não quer estar com o Gonçalo que delegue do poder paternal. Esse mail é apenas para servir de prova no tribunal. A tua resposta foi muito bem "aplicada".

Mas sinceramente acho que ela só pertende magoar-te seja de que maneira for, mesmo que para isso esteja a abdicar da felicidade do filho. É que só vejo esta explicação.

Força!

:*

Filipa disse...

Imagino a tua revolta e como o teu coração deve andar apertadinho.

É lamentável que alguém tenha o displante de proferir essas palavras grosseiras e insensiveis para com o teu filho.

O e-mail da tua ex-mulher é de facto muito curioso, mas o que mais me chamou a atenção foi a forma repetida como empregou o Pronome Possessivo MEU!!

Está de facto longe de entender os filhos como cidadãos detentores de direitos, sendo para já meros objectos de arremesso.

É fácil perceber que as diligências já estão a provocar movimentações ... e não fosse nós saber de "toda" a história, quase que caíriamos na tentação de aplaudir o "nobre" gesto da Senhora estar a prestar informações ao pai do SEU filho!!!

Um beijinho grande para vocês carregadinho de esperança, força e amizade!!

Go disse...

Meu Deus... Tou tou parva com tanta parvoice dessa srª... Há gente que decididamente não masceu para a maternidade!!!

fénix renascida disse...

Li os dois trechos e reparei que, enquanto a sua ex-mulher o trata por você, com todo o formalismo, o Sérgio dirige-se-lhe sempre na 2ª pessoa.
Não me mereceram grande consideração, as palavras da sua ex-mulher.Acho, também, que o Sérgio foi incisivo, pondo os pontos nos is: se for como ela diz, que apresente provas.
E não podia o Sérgio estar mais coberto de razão numa coisa: não faz sentido o seu filho estar longe quer da mãe -que detém a guarda e o poder paternal- e o pai! É pior do que estar orfão, pois tem ambos os pais vivos, e não está com nenhum!
Ainda por cima aos cuidados de uma terceira pessoa...

Anónimo disse...

Queria lembrar que as crianças são sagradas e que ninguém ganha com estas guerras. A mensagem da mãe mostra uma pessoa razoável, responsável e sem azedume, nem espírito vingativo. Uma mãe normal. Uma boa mãe diria. Espero que tudo lhe corra bem e consiga paz e equilíbrio para criar o filho com alegria apesar do "ódio" e dos ataques desesperados do pai biológico. Era altura deste pai procurar apoio psicológico já que sózinho não consegue ultrapassar os seus problemas e recuperar o equilíbrio e paz interior. Mais ainda se vai ter outro filho e vai precisar de se portar bem.

Anónimo disse...

Queria só lembrar que as crianças são sagradas e ninguém ganha com esta guerra muito menos esta exposição pública. A mensagem da mãe mostra uma pessoa razoável, responsável, equilibrada e sem espírito vingativo ou azedo. Uma mãe normal. Uma boa mãe. Espero que tuo lhe corra bem e consiga criar o seu filho com alegria e equilíbrio apesar das agressões do pai biológico. O pai biológico deveria urgentemente conter-se mais e procurar ajuda de um especialista já que sózinho não consegue resolver os seus problemas. Ainda mais se vai ter outro filho é bom que mude e que comece logo do início a comportar-se de forma adulta, sem raivas e ódios que só podem prejudicar as crianças.

ladybug disse...

É fantástico: ele é você para lá, você para cá e, sublinhe-se, o MEU filho. E pedir um atestado de (falta) de sanidade mental da senhora, não?

Dou-lhe os meus parabéns Sérgio, porque realmente não sei com que forças consegue sustentar esta situação, como um cavalheiro.

E que o pequeno João seja um raio de luz aí para casa.

Bjs, Joana

Liliana disse...

Fiquei de facto de boaca aberta ao ler o relato do email de uma mae que nem se deveria intitular como tal, e revoltada ao saber que um fulano que nada e ao Gonçalinho fala com ele como se falasse com um adulto ou com alguem que de quem pensa ter posse, deixa-me triste saber que so em outubro podera haver uma decisao, isto se entretando nao for adiada, desculpa o pessimismo, mas depois do que ja assisti ate aqui, ja acho tudo possivel...mas vamos pensar que a data seja um bom pressagio

Beijinhos grandes para voces

Maria Carloto disse...

Bom, mais uma vez os tribunais funcionam o mais vagarosamente possivel.. =(
A mãe do Gonçalo devia ter vergonha de te dirigir assim um e-mail!! Aposto que só o fez para provar em tribunal que te forneceu informações sobre o Gonçalo... Enfim!
Espero que consigam respostas sobre a legalidade da estadia dele em Angola e que obtenham respostas depressa para que o possam ir buscar o mais rapidamente possivel!! Tens tratado do processo com um advogado? Ele deve saber se é legal ou não e como proceder caso não seja!! Espero que ela entretanto não o vá buscar ou vá para lá... =(
*Boa sorte

Anónimo disse...

Só agora vi que o autor do blogue modera os comentários.Assim se compreende que só aparecem comentários a apoiar o autor. Não conheço nem o autor, nem o filho, nem a mãe. Recebo por acaso os mails com ligação ao blogue. Continuo a achar que o pai se está a portar muito mal e a expor o filho de uma forma cruel e desumana. É de um grande egoísmo e usa o filho para resolver os seus ódios à ex-mulher. Mais, ou muda ou não vejo que venha a conseguir educar o seu segundo filho com isenção, carinho, amor e bons princípios. Não tem disponibilidade emocional para tratar bem o seu segundo filho,porque o seu coração está cheio de ódio e vontade de vingança da sua ex-mulher. Mesmo que ela seja a pior mãe e mulher do mundo, o Gonçalo não ganha nada com este teatro, esta feira. Lembre-se de outra coisa: nenhum filho gosta que lhe digam mal das mães. Pense como é que reagiria se agora lhe viesse dizer que a sua mãe era assim ou assado (coisas péssimas). COmo ficava?? Uma coisa lhe garanto, continuava a amar a sua mãe da mesma maneira e ia odiar quem lhe dissesse mal da sua mãe! Em suma, está a dar tiros nos pés e isto vai-lhe cair tudo em cima. Sinceramente, acorde e torne-se outra pessoa, adoce o seu coração, humanize-se e descubra a paz interior.

Ana disse...

Mas quem é a pessoa "normal" que começa por lembrar que as crianças são sagradas, para de seguida escrever que a mãe mostra ser uma pessoa razoável, responsável, equilibrada, sem espirito vingativo ou azedo, uma mãe normal, uma boa mãe, e que o pai é que deveria procurar ajudada um especialista?
Não é a 1ª vez que leio aqui um comentário anónimo deste tipo, quase que a passar um atestado de insanidade não só ao pai, como a todos os que o apoiam e repito o que já comentei anteriormente.
Esta pessoa (anónima) deve fazer parte do mundo da Sra. mãe do G. ou será a própria?
Realmente, Sérgio tem que ter muita força e continuar a lutar para o bem do seu filho.
Esta gente não é normal mesmo!
Um abraço
Ana

Filipa disse...

Sergio,

Vou ali contar até 1000, para ver se não entro em ebolição!!!

Beijinhos

Odele Souza disse...

Olá Sergio,
Fico contente que tenhas conseguido falar com Gonçalo. E parece que ele é mesmo um menino muito doce.

Um forte abraço.

fénix renascida disse...

E diga-me, Sr. ou Sra (que me parece mais provável) anónimo:

Se uma criança é "sagrada", jamais a devemos privar de ter um pai e uma mãe. Ao que parece,esta criança está em Angola, sem pai nem mãe. E já que a mãe pouco se interessa com isso, é direito -e dever- do pai fazê-lo.
Leu atentamente os dois trechos dos e-mails que foram trocados entre ambos (e só agora, com a audiência marcada, a mãe se dignou dizer alguma coisa)? Parece-lhe "normal" a forma como ela se dirige ao pai do seu filho?
E será que uma "boa mãe" se comportaria da forma como se está a comportar, não só vivendo distante do filho -só se for por força maior, mas nesse entretanto o "razoável" seria deixar o filho com o outro progenitor- como impedindo que pai e filho possam comunicar?
Sim, de facto há alguma exposição, mas controlada. Que mais pode um pai desesperado fazer?!
Espero que em Outubro tudo se resolva da melhor forma. Espero, sobretudo, que seja dada voz ao menino. Aquilo que ele decidir, se de conciência e não estando "ameaçado", será aquilo que ele, de facto, quer.
Boa sorte.

Mae Princesa disse...

Até me passei!!!Vou ali respirar para dentro de um saco de plástico!!!SOCORRO!