segunda-feira, 27 de abril de 2009

...e em resposta:

Todos quanto me conhecem, todos quanto seguem este blog há mais de um ano sabem como procedo, sabem como cuido evitar ataques pessoais à mãe do meu filho Gonçalo e, principalmente sabem o quanto luto apenas para conseguir exercer um direito e dar o melhor ao meu filho. Nunca tive a pretensão de ser o detentor único da verdade e da razão mas, sinceramente sou cidadão merecedor de decisões tomadas de forma justa, equitativa e diligente pelos Tribunais portugueses.
Na moderação de comentários cuido apenas evitar que sejam deixadas mensagens nas quais possam ser, eventualmente divulgados dados pessoais do meu filho ou da minha ex mulher. Faço-o por cautela, porque eles não escolheram ter um blog a falar sobre si!
Como sabem aceito todos os comentários que me são deixados, mesmo os que me atacam ou manifestam uma opinião divergente. Não receio a diversidade de opiniões, pelo contrário e, principalmente não me deixo “cair” pelas palavras anónimas de quem, claramente não cuidou conhecer, antes de escrever tudo quanto aqui ficou escrito.

De uma forma ou de outra, reitero tudo quanto disse nos posts anteriores e, reafirmo: A minha vontade é ver o Gonçalo crescer, apoia-lo em cada momento e ajudar em tudo quanto venha a necessitar.
Relembro: Neste momento, desde finais de Janeiro de 2009, o Gonçalo, com 9 anos de idade está, algures em Angola sem o pai e sem a mãe!

Pois bem…pegando nesta frase deixem-me responder ao corajoso anónimo que me deixou três comentários na última mensagem:

O ser humano é sagrado! Todos e cada um de nós integra um ser com direitos e com obrigações que, por um lado devem ser acautelados e pelo outro devem ser cumpridos. Sempre cuidei pelos direitos do meu filho, sempre cumpri as minhas obrigações. Não vou desistir de o gostar, de o amar, de o desejar ao meu lado…nunca!

Da minha parte inexiste, contrariamente ao que, por mero desconhecimento alega qualquer guerra. No momento da separação trouxe comigo o meu filho Gonçalo. Mais tarde, exactamente por eu nunca aceitar a vida como uma guerra, “permiti” que a mãe passasse uma tarde com ele e…até hoje, como verá se ler este blog e no mesmo confiar ou, em alternativa se fizer o favor de ir ler o processo judicial, tenho apenas levantado o escudo para me defender das armas que me são apontadas!

Não comentarei a alegada razoabilidade, responsabilidade, ausência de azedume ou espírito desprovido de sede de vingança da mãe. Será esta conhecida do anónimo? Caso seja, por favor peça-lhe que assim proceda, com essa razoabilidade e responsabilidade. Qui ça ela viaja para Angola e fica ao lado do Gonçalo ao invés de o deixar á mercê de terceiros!
Como facilmente compreenderá, não deixarei nota sobre as qualidades e defeitos que bem conheço à minha ex mulher. Aliás, com sinceridade, a única coisa que de facto me importa é a alegria e o bem estar do Gonçalo.

Escuso-me de comentar a expressão “mãe normal” e a expressão “boa mãe”. Resta-me, neste ponto assumir-me como um pai normal, um bom pai.

Devo dizer-lhe, caro e corajoso anónimo que me sinto em paz, em paz ao lado da minha família de momento amputada pela ausência do Gonçalo. Digo-lhe que vivo sem ódios e envolto em sorrisos. Eu e a minha família lutamos, sem desistir pela companhia do Gonçalo. Sabe porque razão o faremos sempre? Porque esse foi o pedido que ele nos deixou. Foi isso mesmo que nos pediu, abertamente e em frente a mais de uma dezena de pessoas! Um dia falaremos sobre isso. Aliás, um dia…falaremos sobre muito mais.

Gostava que fosse apontado por si um só “ataque” que aqui tenha sido feito à mãe do Gonçalo. Na verdade, lendo o que me deixou comentado só posso concluir que se trata de uma pessoa muito distraída e pouco cuidada. Comentou um blog, disse meia dúzia de coisas mas…francamente, fica muito aquém do que aqui está escrito.
De verdade, salvo o devido respeito, é preciso ler e entender para poder criticar!

Agradeço o conselho para que eu busque apoio psicológico. Nunca me chocou pensar em visitar profissionais capazes de me ajudar sempre que necessário mas, de momento tenho tudo o que preciso: determinação, força e clareza de espírito! Tenho, principalmente o afecto e o carinho necessários para continuar a viver feliz e com esperança.

Se me permite…aconselho calma e ponderação. Não se precipite nas suas análises caro anónimo. É muito importante estar atento antes de manifestar uma opinião.

Terei todo o gosto em continuar a moderar, aceitando, todos os seus comentários.

Entretanto, sobre o Gonçalo: O telefone está desligado e continuo sem falar com ele! Vida velha!

Um abraço a todos!

9 comentários:

Anónimo disse...

Realmente, Sérgio, esses comentários são de pessoas, pouco cautelosas e que não seguem o teu blogue. Dá gosto ver o teu Português correcto e claro, a forma como escreves, a coerência que demonstras em todo este blogue!? Todos acreditamos em ti! Posso adiantar que só espero um único final, que possas ter a tua família junta. Não tenho dúvida que o Gonçalo será feliz ao vosso lado, ao lado de quem o ama, cuida, luta por ele, que lhe quer bem!
Não posso deixar de me alegrar ao ver cada vez mais pessoas a darem a cara no teu blogue...sabes o que m e aconteceu no outro dia? estava eu a tomar qualquer coisa num café e comecei a ouvir a história de um Pai, que luta pela guarda do seu filho...e que conta a sua história num blogue...fiquei atento e meu espanto....filhoparasempre...o teu blogue! estamos a falar de um local que fica a cerca de 20 km do Porto, Espinho.
Continua! o nosso apoio é incondicional.

Felipe Basto Freitas

Maria Alexandra Martins disse...

" A ignorância é muito atrevida!"
A disponibilidade do Sérgio para criar o João é a mesma que teve para me receber na vida dele e me amar como ninguém: total, absoluta e sem reservas!
A mãe do Gonçalo, da parte do Sérgio, da nossa parte, merece, apesar de tudo, o maior respeito por essa sua qualidade: É mãe de uma criança que nós amamos mesmo! Sinceramente não vejo no Sérgio azedume e muito menos ódio.
Confesso que sorri ao ler os comentários, completamente desprovidos de senso deste comentador anónimo.
Espero que cuide de si com mais cautela porque...a precipitação é muito pouco amiga.
Enfim...
Um blog é mesmo assim...uma exposição! As opiniões, por mais diversas e tantas vezes, perdoem-me, pouco razoáveis, são sempre opiniões que o Sérgio, a meu ver bem...aceita!
Alexandra

Cindy disse...

Para os anónimos bastam 2 coisas:

1º o Gonçalo está a cargo da mãe e essa mãe não está com ele, a criança está com uma 3ª pessoa, que nem da família é, a uns bons milhares de quilómetros de distância, longe da vista do pai, que o quer perto dele.

2º lá por ela ter escrito um mail a dizer como o Gonçalo está, não quer dizer que seja boa nem má mãe, quer isentar-se de responsabilidades, mais nada!

Espero que os anónimos não sejam pais, porque qual é o pai ou mãe que entende uma situação igual??

Filipa disse...

Olha Sérgio, sinceramente, creio que tudo o que havia a dizer ao anónimo, já foi dito, irrepreensivelmente, quer por ti e pela Xana, quer pelos autores dos comentários que antecedem o meu.

Muita calma e esperança é o que Vos desejo!!!

fénix renascida disse...

Eu também já fiz o meu comentário a essa pessoa anónima (por certo uma mãe -e eu sou pelas mães, desde que o sejam de facto), na postagem onde ela intervém.
Sabe, Sérgio, eu também estou marcada pelo mês de Outubro: foi em Outubro de 1996 que soube que estava grávida da minha filha mais velha; foi em outubro de 2003 que, de forma abrupta, ma levaram; foi em Outubro de 2004 que conheci o meu actual companheiro, meu grande apoio nesta dura caminhada; foi em Outubro de 2005 que nasceu a minha filha mais nova. E será, calculo eu, em Outubro -de que ano, não sei- que terei a minha família completa, com a minha filha mais velha junto de nós. Porque esse é o desejo dela!

Ana disse...

Não sei nunca o que comentar perante injustiças!!!O superior interesse da criança é o que menos se vê nesta história...Qual é o superior interesse de uma criança em ficar num país distante sem a mãe nem o pai?
A justiça Portuguesa devia pensar no que o Gonçalo sente, no que pensa nas suas dúvidas e ansiedades, é uma criança que vive longe de todos os que ama...Isto é uma questão de direitos da criança que não são respeitados!!!!
Quanto ao anónimo, nós quando temos segurança nas nossas opiniões damos a cara por elas e não temos medo de assinar os nossos comentários!!!!
Um beijo grande para todos e força que o Gonçalinho mais tarde ou mais cedo estará contigo!!!
Se és um bom pai? Não tenho dúvidas que sim...Poucos pais lutariam como tens lutado pelo teu filho estes anos todos!!!
Força, já faltou mais.

Ana Manta

mafaldinha disse...

Ola venho atraves do bloga da minha amiga sara(mae princesa)e fikei completamente parva com a tua historia...Realmente Deus da nozes a quem nao tem dentes...Kem me dera que o pai dos meus filhos fosse metade do bom pai que es!!!!
Nunca desistas,luta por o teu filho que ele merece...Espero que tenhas muita sorte e que desta vez a justica em portugal funcione como deve ser vou continuar a seguir o teu blog,a tua historia pois fiquei muito interessada na tua historia...Estou separada a 6 meses c dois filhos sozinha e o pai dos meus filhos quase nao me ajuda e quase nao os ves e ficar com eles nem pensar por isso acho muito bonito o teu amor por o teu filho e a tua determinacao em lutar por ele continua...
cumprimentos nossos e voltarei...

alma disse...

"A minha vontade é ver o Gonçalo crescer, apoia-lo em cada momento e ajudar em tudo quanto venha a necessitar."

Força para que consiga sempre fazê-lo e boa sorte para sua jornada :)

Rute Couto disse...

Olá

O anónimo dos comentários não é pai, nem mãe (ou então é uma com postura igual à mãe do Gonçalo!). Nem é certamente uma pessoa de bem, poque eu tambem não tenho flhos e consigo ter a inteligência e sensibilidade suficientes para ver que nenhuma mãe que diz querer o melhor para o seu filho o "abandona" desta forma, privado de todos os que o amam...

Força!
Rute