segunda-feira, 28 de julho de 2008

Em nome de um filho!

Em nome de um filho...
Com a ajuda de uma amiga que habitualmente nos visita descobri que, infelizmente não sou o único...
http://superpai.blogspot.com/
A minha solidariedade e total apoio nessa luta!

8 comentários:

Shakti disse...

Infelizmente não és o único ...acredita que me revoltam estas situações...não te conheço , mas queria tanto que tivesses o Gonçalo ao pé de ti novamente !!!

bjs e esperanças

filipa disse...

Olá Sergio,

De facto não és o unico .... acredita que cada vez mais casos como o teu surgem e muitos deles chegam até nós através dos meios de comunicação social. Eu, que lá vou deitando o olho à televisão, nomeadamente, aos programas da manhã, posso afirmar que não há semana em que não sejam relatadas situações destas. As situações são muito heterógeneas ... mas a conclusão por norma é a mesma ... os filhos são entregues quase sempre às mães e é notória a falta de capacidade dos nossos magistrados para lidarem com o caso. na semana passada foi ao programa do Goucha um pai, que apenas via a filha a brincar no recreio da escola, porque o tribunal (pese embora ele tivesse todos os relatórios das tecnicas da segurança social a afiançar que ele teria muito mais capacidade para educar a filha do que a mãe) tinham dado o poder parternal à mãe e nem aquele regime de visitas de ter a filha com ele de 15 e 15 dias lhe era permitido. Estava tudo incredulo, como é que a opinião tecnica era uma e a decisão do tribunal completamente antagónica!!! Não há de facto explicação ... o que é certo é que as crianças todos os dias crescem ... e o tempo por mais que queiramos não volta atrás!!! Muito se perde ... mas de facto os mais lesados em tudo isto são as crianças que acabam por crescer completamente desestruturadas ... que adultos teremos num futuro proximo? e o que acontecerá aos responséveis? Acho que já todos sabemos a resposta!!

Um beijinho muito grande para vocês!!

Ana e Kiko disse...

Não és unico e tens mt gente do teu lado nesta batalha.

filipa disse...

Olá Sergio,

Já privatizei o Blog e já te enviei o convite. Se ao acederes sentires alguma dificuldade, por favor envia-me um em-mail (filipagalvão@hotmail.com), ok?

Um beijinho

Anabela disse...

Olá! O meu nome é Anabela e sou uma mãe separada com uma relação algo complicada (que chegou ao nível da agressão) com o pai do meu filho. Deixo este comentário porque, apesar de todos os problemas que eu própria tive e tenho, me revoltam situações como a do seu filho. Falo dele porque é o principal prejudicado no meio dos problemas dos pais. A verdade é que há pais e mães que, depois de uma separação, usam os filhos para lutas que não são deles. É o caso de pais que não pagam pensões e tratamento médicos porque acham que não lhes compete, uma vez que não ficaram com os filhos a cargo e é também o caso das mães que, por não receberem essas pensões, cortam com as visitas e os fins de semana... Os casos são muito diversos e complicados e quando não há um mínimo de bom senso e poder de encaixe as crianças é que sofrem.
No meu caso pessoal posso dizer que, à custa de engolir muito sapo, às vezes do tamanho de um prédio de 7 andares, tenho zelado pela relação do meu filho com o pai. Essa relação é única e é deles. Não me cabe a mim como mãe e como educadora, tutora e tudo o mais dificultá-la. O que posso dizer às mães e pais que metem os filhos ao barulho é que um dia tudo o que fizerem se vai virar contra vós. Isso é inevitável, para além de darem cabo da cabeça às crianças. O papel de pais e mães é que não falte nada aos filhos, seja material ou emocional. Para que a felicidade da criança seja possível é necessário que os pais se responsabilizem por prover o sutento material da criança (alimento, roupa, médicos, tratamentos, escola, etc) e que as mães se mentalizem que os filhos precisam dos pais e restantes pessoas da família. E que mesmo que os pais não cumpram não devem usar as crianças. Há tribunais para essas lutas. O meu filho vê o pai às terças e quintas e está com ele ao fim de semana de 15 em 15 dias. O pai paga 150€ por mês. Só a escola são 293€. As despesas médicas, que o próprio juiz decidiu (sem eu pedir nada) que fossem a meias estão por pagar desde sempre. No que depender de mim o meu filho continuará a ver o pai. O que não quero é que ele um dia me diga que não se relacionou com o pai por minha culpa e eu sinta que ele tem razão. Não quero pesos dessa dimensão na minha consciência. Às mães digo ainda que devem lutar no tribunal sempre que haja incumprimento. Essa é também vossa obrigação. Mas não deixem de cumprir por não estarem a cumprir convosco. São os miúdos que perdem sempre. A minha relação não funcionou mas dela nasceu o ser mais precioso do mundo para mim. Se o meu filho não tivesse aquele pai não seria quem é...
Aos pais digo que também é vossa obrigação lutar sempre por ver os vossos filhos. Conheço um pai que se sentava à porta do filho durante as horas de visita. Hoje já o vejo descer a rua com o filhote pela mão. Façam é também o favor de zelar pela sua saúde e sustento. O meu pai tinha 2 empregos para me sustentar. Tudo bem que ele e a minha mãe se mantêm casados mas lá porque houve uma separação os filhos não deixaram de ser vossos, não é?
Sergio, espero sinceramente que não seja como alguns outros pais que andam pela net, tv e afins a queixarem-se e a fazerem dramas quando a consciência lhe devia pesar mais que chumbo. Há muitos pais assim. Não me leve a mal dizer isto mas digo-o por não o conhecer... Se não for um desses casos desejo-lhe toda a força do mundo. De coração.
Anabela

Kelly disse...

Por um lado é bom que tenhas descoberto outras pessoas na mesma situação, que verdadeiramente compreendem o que sentes, mas por outro lado vejo que há ainda mais casos de filhos e pais separados "à força"...
Fico triste com isto e espero que o bom senso prevaleça para que se contem finalmente histórias com finais felizes...
Penso muitas vezes em ti Sérgio, eu sei que parece disparatado, mas se vejo notícias de Angola, vens-me ao pensamento, se vejo hoteis em Agola, procuro um Gonçalo que nem conheço...é estúpido eu sei...
Ah...e adorei a mensagem da tua esposa no último post...
Vocês vão conseguir...vai tudo correr bem...
Vão ter direito ao vosso final feliz...

filipa disse...

Olá Sérgio,

Vim á procura de notícias, saber de Vós, desejar um bom fim de semana, e enviar-vos um grande beijinho!!

Mar disse...

Olá Sérgio,

sei que há apenas 4 dias que não dás notícias, mas devido ao último post e à mensagem da tua mulher, pus-me a pensar se não teriam mesmo apanhado um avião para Angola? É impressionante como a blogosfera aproxima as pessoas. Tou aqui a torcer para que tudo corra bem e que reencontres logo o Gonçalo e possas reexercer os teus direitos de pai. Espero por notícias vossas.