sexta-feira, 11 de julho de 2008

«A dança»


O ano passado, no Verão tínhamos, no carro um cd dos Pólo Norte. No início das férias ouvimos duas ou três vezes o cd durante curtos percursos de um lado para o outro. Um dia, entramos no carro, e, ao ligar o rádio começou a música «A dança». Qual não é o meu espanto começo a ouvir o Gonçalo a cantar, sentado na sua cadeirinha (apropriada para a idade e altura) «Chegaste de passos apertados, olhos embargados, cheios de medos teus. Pediste que te levasse a mágoa, e que te tocasse a alma olhando para os meus». Fiquei surpreendido. Eu e a minha actual esposa olhamos para ele e comentamos: Perfeito! Já sabes a letra? E ele, feliz e vaidoso cantou mais alto e desatou a agitar os braços de forma ritmada; «Apertei-te contra ao peito, num abraço perfeito». O meu filho memoriza as letras das músicas como eu nunca imaginei possível e, mais encantador, apanha-lhes o ritmo certo, canta, dança e ri, ri muito.
Sorri ao lembrar-me deste momento. Não posso deixar de partilhar e guardar cada alegria que vivemos juntos. Temos tanto para viver!

9 comentários:

Anónimo disse...

Vai ver que ao lembrar-se assim do seu filho...ajudará a passar o tempo de forma rapida e com menos dor...não tarda nada, torcemos para que o seu filho viva, respire ao seu lado, diariamente...

José Rodrigues

Anónimo disse...

Passei o seu email a varios contactos importantes, que o poderão ajudar pelas vias diplomáticas! caso o necessite?!
Brevemente terá noticias no seu mail.
Força e coragem para continuar o seu percurso em direcção à sua felicidade, e ao seu filho!


A solidariedade é um bem precioso, não custa nada olhar para os lados e ver quem precisa.


Amadeu Rochefondt & Alicia Rochefondt

mumdream disse...

Olá:

Encontrei este blog, através de outros, e não pude deixar de ficar com lágrimas nos olhos, pois sendo eu filha de pais separados, sei bem quanto isso custa a um filho. Infelizmente também tenho uma vaga ideia do que sofre um pai que não pode ver o seu filho, pois tenho um caso idêntico na familia.
Espero que o Gonçalo possa vê-lo em breve, e de uma coisa tenho a certeza: ele nunca vai esquecê-lo, pois nunca esquecemos os que mais amamos, por muito que nos digam que o outro não nos liga nenhuma, acho que de certa forma sabemos a verdade.
Desejo-lhe muita força e coragem nesta caminhada.

Maria Alexandra Martins disse...

Sérgio,
É muito bom visitar o blog e observar que tens mensagens de apoio e solidariedade. Vamos permanecer aqui e acreditar que, em breve, tudo correrá bem. Não desisto de estár ao teu lado e lutar pela companhia do meu amigo, mais que tudo,Gonçalo.
Um beijo

Anónimo disse...

Sérginho,
Lembro-me muitas vezes do Gonçalo e nunca me esqueço da forma carinhosa como se relacionam pai e filho. Tenho a certeza que vamos voltar a viver momentos felizes e eu...é verdade :) Adoro ser avó emprestada do Gonçalo.
Um beijinho
Létinha (mãe da Xana)

P.S. As minhas palavras são também do Heitor, um avó emprestado e muito babado.

Shakti disse...

Cada vez mais penso que no teu caso apenas te resta viver dia a dia ...é o melhor...

bom fim de semana

P.S._já tomaste alguma decisão sobre a tua ida a Angola ?

filipa disse...

Olá Sergio/Xana,

Passei por este Vosso cantinho que me habituei a visitar (e com muito gosto o faço), para Vos desejar um BOM FIM DE SEMANA.

Um grande beijinho para vocês!!

Márcia disse...

É preciso nunca perder a esperança.
Bj

Cláudia, Pimpo & Pimpa disse...

Bem, se já fico comovida com os teus posts, também o fico com os comentários que te deixam...
É bom saber que quando precisamos há sempre alguém pronto a apoiar-nos.

Bjs Cláudia