terça-feira, 11 de março de 2008

Férias de Verão!



Passaram mais de 6 meses desde as férias de Verão!
Em Agosto, assumido e aceite que estava pelo Gonçalo o crescer da nossa família, fomos juntos para fora do Porto. Decidimos passar o período de férias numa casa de família na companhia dos meus pais, demais familiares e alguns amigos. O Gonçalo usufruiu ao máximo daquele período e, naturalmente da companhia de todos. Lembro-me que no dia da viagem estava ansioso por chegar e não parava de dizer o quanto ia brincar com o primo Bernardo. Foram dias fantásticos! O Gonçalo, dançou, cantou, brincou...enfim!
A meio das férias a mãe do meu filho ligou para o meu telefone móvel. Como é evidente passei de imediato o aparelho ao menino para falar com a mãe. Orgulho-me de nunca ter sonegado ao Gonçalo os contactos com a mãe.
Apreciei a forma como o meu filho e a pessoa com quem decidi partilhar o resto da vida conseguiam rir sem parar e como tinham sempre tema de conversa. Nunca mais me esqueço do sorriso da minha mãe quando nos apanhou, aos três a rir sem parar.
O Gonçalo andava muito empenhado na decoração do seu quarto e, um dia, ao passar por uma montra, escolheu um puff cor de laranja que, segundo ele, ficaria muito bem com a decoração do espaço. A opinião foi unânime! Compramos o puff que continua no teu quarto filhote para quando voltares.
No fim das férias voltamos ao Porto e, com dor, eu preparei-me para levar o meu filho a casa da mãe.

7 comentários:

Anónimo disse...

Tenho estado a seguir o teu blog..impressionante..com um problema destes, não te deixas ir a baixo..tens sempre um sorriso, boa disposição para os teus colegas na escola..Espero que o teu filhote de quem falas imenso (e por isso, nem parece que estás afastado dele!), venha para ti muito em breve!..


Miguel

Anónimo disse...

Amigo Sérgio, fico abismada como se pode cometer uma crueldade destas, e em especial com um menino de tão tenra idade. Sou uma avó viuva, com 59 anos e sou uma avó babada pelos meus 3 netos (3 meninos de 4, 5 e 13 anos) filhos do meu filho...este meu filho está casado pela segunda vez. Da primeira união matrimonial nasceu o Pedro. Esta união acabou de forma tão má, que acreditava que não iria ver mais este meu neto..e foi um facto! ele só à coisa de um ano quis procurar-nos, a mim e ao Pai. Ficamos tão felizes, ele não nos tinha esquecido mas, a pena, a dor que nos consome foi de ter perdido o seu crescimento. Tentamos recuperar o que perdemos, mas o vazio está cá em ambas as partes, a estranheza do tempo que estivemos afastados deixa-nos sem jeito.
Mas a mensagem que quero deixar aqui, depois de ter tido contacto pela minha nora, deste blog, sua colega de escola em Ribeirão,onde deu aulas há uns anos e onde deixou muitos amigos que o admiram imenso, é só esta: Força! vale lutar pela nossa vida, como o fez, mas também vale lutar pelo sangue do nosso sangue. Tenha certeza de uma coisa dê para onde der este processo, você vai sair a ganhar! a sua ex mulher não, porque o seu filho sabe distinguir o bem do mal e a maldizência.
Vá em frente, não está sozinho nessa luta!
Alberta Simões

Maria Alexandra Martins disse...

"Contra factos não há argumentos!"...a verdade é tão fácilmente compreendida e apreendida :) Nunca vamos deixar de acreditar nesta verdade tão facilmente comprovável e comprovada...Que dizer dos milhares de fotos com tantos sorrisos, com tantas emoções? Pobre quem não consegue sorrir...miserável quem lamenta o sorriso dos outros! Eu..tu sabes :) Tenho facilidade em sorrir porque te vejo e sinto todos os dias na minha vida e guardo os risos e as palavras do meu mais querido amigo, o Gonçalo!
Um xi, bem grande...aos dois :) AM

Anónimo disse...

é sempre com alguma tristeza que visito o teu blog.
eu, com tr~es filhos ao meu lado, com tantas partilhas e ternuras, e tu, que também as querias e merecias, não as podes ter...
Por enquanto... porque o teu momento há-de chegar! espero que mais cedo que tarde, mas há-de chegar!
Tudo de bom!
Bjs
Barriga cheia de felicidade

Anónimo disse...

Quando se fala de afectos fico sempre atrapalhada... Não consigo gerir, muito bem, o meu centro de emoções... E esta história.. infelizmente verdadeira, deixa-me sem palavras... a minha dificuldade de falar sobre afectos é muito grande. My friend, eu posso ter esta dificuldade, mas estarei sempre ao teu lado. Adoro - vos! M.J

Anónimo disse...

em breve terás o teu filho..vais ver...

Daniela disse...

Imagino o sofrimento que estas a passar...ou então nao, pk nc fui mãe.Só posso dixer para lutares e para teres sempre experança pk vais consegui-lo ter d volta e quanto menos esperares vais te-lo de volta....tou a torcer por ixo!Força