quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Por um curto período de tempo...

Em Maio de 2006 voltamos ao Tribunal. Desta vez, para além do pai e da mãe, compareceu ainda o meu filho. O juiz do processo decidiu ouvi-lo e colher a sua opinião. Confesso que me custou imaginar o Gonçalo, tão pequeno, a entrar numa sala de audiências ou no gabinete de um magistrado para ser ouvido num processo judicial.
Vi o meu filho no dia da conferência de pais. Chegou acompanhado pela mãe e pelo companheiro desta. Não me foi permitido cumprimentá-lo e fiquei por ali, à espera.
O Gonçalo foi ouvido! Desconheço o teor da conversa mas, finda a mesma o meu filho saiu do Tribunal comigo. O juiz do processo entendeu entregar-me a guarda por alguns dias. Penso que a intenção terá sido compensar os meses de ausência.
Foi uma experiência única poder voltar a ser pai de todos os dias!
Adorei acompanhar o Gonçalo ao colégio, ajudá-lo nas suas tarefas, brincar com ele, conversar sobre as suas preocupações e alegrias. Foram dias felizes!
Os meus pais, o meu irmão, demais familiares e amigos estiveram sempre presentes durante esse tempo e, finalmente, pudemos proporcionar ao nosso menino o melhor de nós.
Cuidei para que o Gonçalo mantivesse o contacto com a mãe. Defendo que o meu filho não pode ser privado de nenhum de nós.
Voltei a sonhar com uma vida normal! Em vão…os incumprimentos recomeçaram logo que o Gonçalo regressou à casa materna!

14 comentários:

Anónimo disse...

Sérgio,
desculpa insistir, mas há pessoas em Angola que te podiam ajudar a encontrar o teu filho.

Percebe-se que os familiares da mãe estão literalmente a insultar-te em praça pública.

Apesar de não ser mãe (ainda) adoro crianças e todas elas têm direito a ter dois pais - a mãe não teria o Gonçalo se tu não existisses!

Acredito na Justiça. A notificação é dificil de fazer se não souberes a morada
Mas tens que pedires ajuda as autoridades angolanas ou portuguesas locais. A embaixada Portuguesa em Luanda tem os seguintes contactos:
Chancelaria: Avenida de Portugal, 50 Luanda
Telefones: (002442) 22 33 1079 / 33 34 43/ 33 30 27
Fax: (002442) 39 03 92
Email: secretariado.emb@snet.co.ao | embaixada.portugal@snet.co.ao

Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário: Ministro Plenipotenciário de 1ª Classe Francisco Maria de Sousa Ribeiro Telles

Tenho amigos e familiares a trabalharem em Angola. Aliás todos nós conhecemos pessoas que tentam mudar a sua vida e Angola tem sido um destino preferencial pelo seu desenvolvimento.
Estou aqui para o ajudar mas só posso fazê-lo se me deixar!

ilda disse...

Um dia quando o Gonçalo ler este blog, ele vai ententer o que é o AMOR, só com muito Amor se luta desta maneira, só com muito Amor se enfrentam batalhas.
O Pai enfrenta tudo e todos porque AMA demais o seu filho!
A mãe foge...e foge para longe...
porquê? Terá medo? De quê? De quem?
Força Sérgio!!!!!!!!!!!!
Um abraço enorme
Ilda

ilda disse...

Mãe!!
Faço mais um apelo!!
Deixe o Sérgio dar Amor e carinho ao seu filho!!

Mãe não tem saudades do filho que deixou em Portugal???

Não acredito que não pense nele todos os dias. Não acredito que lhe faz falta o seu cheiro, o seu olhar, o seu sorriso, o seu choro, o seu chamar...
Ajude o Gonçalinho!!!
Um beijo para si ..MÃE

Ilda

Pai Para Sempre disse...

Bom dia!
Já contactei a embaixada portuguesa em Angola mas, a informação que obtive foi de inexistir qualquer "registo" em nome do meu filho ou da mãe deste. Pelo que sei não é obrigatória a inscrição na embaixada.
Entretanto, muito agradeço toda a ajuda que me possa dar na descoberta do Gonçalo.
A todos o meu sincero obrigado pelo apoio.
Um abraço,
Sérgio

ilda disse...

Hoje é dia do AMOR (não só dos namorados!)
Por isso Mãe, deixe o Gonçalo falar com o PAI!

Pense bem!!!
Ilda

NorbertoJ disse...

Pai!
Apoio a sua atitude de lutar pelo seu filho.
Ao ter contacto com este blog, confesso-lhe que fico envergonhado de ter em tempos desistido dos meus filhos. Eles voltaram, contrariando a mãe, mas só na maioridade! Hoje tentamos recuperar muito do tempo perdido..Eles voltaram, mas o vazio por não os ter acompanhado permanece dentro de mim.
Siga em frente, e verá que mais tarde ou mais cedo, tudo se resolverá.
Um abraço e fique com deus!
Norberto Jorge

Anónimo disse...

Serginho,
Somente ontem tive acesso ao teu blog! lamentável, teres que te expor a uma situação desta mas pelos vistos só assim é que terás visibilidade..
amigo estou contigo e vais vencer!

Jorge

Anónimo disse...

Ao reler este blog, dezenas de vezes, só me pergunto: que mais pode fazer um Pai no nosso Pais, para estar com o seu filho? acompanha-lo no seu crescimento! dizer: filho, és criança, precisas de mim!?! filho és adolescente, precisas de mim!?!?...pelo visto pais divorciados só podem dizer, filho, és adulto, de que precisaste durante este tempo, que estive privado em estar contigo?
É uma vergonha que a nossa Justiça, deixe uma mãe impôr a sua vontade sobre a VONTADE de um menino doce e amado pelo Pai, familiares e amigos!

Não te conheço, mas reconheço a tua luta em outros Pais, Portugueses.

Mário Rodrigues - Taipas - Portugal.

Natália Fonseca disse...

ola colega!
Como mãe, estou indignada! Como há mães que podem sobrepor os seus interesses e fins aos de uma Criança e de um Pai?... que tudo o que querem é estar juntos, ter a companhia e amor um do outro.

Mãe! ganhe juizo..Pai! tenha paciência...a verdade e a justiça podem tardar...mas mais cedo ou mais tarde "vingam".

Natália Fonseca - Povoa de Sta Iria

Jose Almeida disse...

caro PAI sérgio...
é por estas e por outras que eu considero portugal um país de
"filhos da mãe".
Como perguntas, e bem, como será o Gonçalo daqui a 10
anos?
só deus é que faz a conta final AMIGO!
Provavelmente no dia 13 de maio de 2003 o milagre foi tu
acabares uma relação com uma mulher deste nível. Esta mãe
que teima em fazer "guerrinhas" estupídas usando o VOSSO
filho, só o faz porque é cobarde e... ainda te dá importãncia e
VALOR.
Sabes como é que eu "mato" saudades do Gonçalo?
Quando estou contigo, a sensibilidade, a energia, a fé e o
sorriso são IGUAIS.
O meu receio não é a balança da justiça, mas sim a venda que
esta tem sobre os seus olhos.
CREIO que o Gonçalo será teu em breve.

Candido Costa disse...

Caro Sérgio! Continue a sua luta. Eu travo uma luta idêntica, há cerca de 3 anos, por duas filhas de 3 e de 5 anos, respectivamente. Durante os primeiros 7 meses, não tive qualquer problema, o acordo foi sendo cumprido a 100%...mas a partir do momento que apareceu o actual namorado da mãe, das minhas filhas, tem sido um caos...são agressões verbais em frente a estas, são queixas crime do namorado dela, agressões deste a mim e a quem me acompanha...os meus ex sogros a insultarem-me, a negarem-me ver as minhas filhas..a inventarem que sou um animal..que sou agressivo…olhe tanta coisa…só queria deixar aqui o meu testemunho, para que saiba que o compreendo..
Um abraço Pai…Homem com coragem!
Cândido Costa

Pai Para Sempre disse...

Caro Cândido,
Gelei ao ler o seu comentário. Foi exactamente isto que vivi ao longo destes anos. É enorme a dor que sinto...sei que me entende.
Aceite o meu abraço solidário e votos de muita força.
Obrigado
Um abraço,
Sérgio

Rui Santos disse...

Caro Sérgio!
Sem dúvida a sua história tocou-me e comoveu-me, a mim e à minha companheira. Temos uma filhota em comum, com cerca de 6 meses e, ao ler este seu blog pos-nos a reflectir sobre a vida, e sobre uma coisa que nunca nos passou pela cabeça. Deus nos livre passar por isto. Espero que possa ver, estar com o seu filho em breve.
Rui e Rita Santos.

Anónimo disse...

Primo
Só hoje consigo deixar-te uma pequena mensagem. Ontem ao dares-me este endereço, perdi cerca de uma hora a ler o teu blog, li e reli imensas vezes..realmente é um absurda esta tua história..a vossa relação vai além de Pai e Filho..vocês são amigos acima de tudo...a tua relação foi um modelo para a minha relação com o meu filho..primo sabes que estou contigo apesar da distancia fisica..Um abraço!