terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

...foi assim!

Depois de ter tido o privilégio de cuidar do Gonçalo num regime de guarda provisória, voltei a "perdê-lo"! Na verdade, o juiz do processo apenas tencionou compensar-nos pelos incumprimentos sucessivos e reiterados da mãe. No dia em que deixei o Tribunal com o meu filho sabia que tinha uma data certa e determinada para voltar com ele.
Ainda assim, eu mantinha a esperança de que tudo voltasse à normalidade e, principalmente que o acordo do regime de visitas fosse cumprido. Foram falsas as expectativas que criei!
Os incumprimentos recomeçaram e eu, uma vez mais...pai em pensamento!
Uma panóplia de factos e episódios mantiveram o Gonçalo longe de mim e da minha família. Lembro-me de o meu filho me ter contado que, enquanto eu tocava à campainha ele espreitava pelas pressianas e a mãe dizia-lhe para não falar!
Tudo se manteve assim até à Primavera do ano de 2007...

6 comentários:

AnaB disse...

Eu ouvi esses relatos na primeira pessoa. Ainda consigo ver a cara de revolta e de indignação do Gonçalinho ( na altura um menino de 6 anos ).
Beijo, Sérgio! Não deixes que este blog e a tua luta morra ou caia no esquecimento.

AnaB

Anónimo disse...

esta palhaçada continua??????vais longe..vais!!!Palhaço...

Anónimo disse...

Conheci-te em Novembro de 2006,tinhas então o teu filho mais ou menos regularmente..e não eras casado..Percebo agora muita coisa..
De qq das formas apenas quero dizer-t que não desistas nunca dele..Tenho a certeza que ele nunca vai desistir de ti..Acho-t uma pessoa especial e espero que consigas ter o teu filho de volta..Morro só de pensar em viver sem a minha..Força Sérgio..Já conseguiste a vitória de falares com ele!
Beijinhos
Zulmira Pereira

Anónimo disse...

Meu querido amigo,

Parabens pela 1ª conquista, umas parcas palavras, mas tão importantes não é....
A primeira batalha está ganha!!...essas pessoas k vos kerem "pouco bem" devem viver num constante desasossego de alma...pk me parece impossivel viver num estado de maldade e vingança 24 horas por dia...ou não será? Haverá almas permanente más? Capazes de provocar dor e sofrimento aos k lhes são mais proximos?? Parece que sim...para mim é estranho....o meu conceito de maternidade passa por valores tão distintos dos k aqui leio...que não consigo sentir-me senão indignada com a "pobreza" de afectos e amor destas pessoas...
Mas tu és diferente, e a vida ha-de premiar-te por isso....o Gonçalo ha-de, a seu tempo, ter a oportunidade de ser teu também!!

Aquele abraço,
Sónia

Francisco Machado disse...

Esta missiva é-lhe dirigida a si: "anónimo".
Pelos comentários aqui tecidos, parece-me que, ainda que tenha por algumas vezes, referido que não voltaria a alimentar este blogue, vive com algum desassossego.
Será a pouca consciência que demonstra?
A falta de educação patente nos seus comentários?
O facto de se relatarem acontecimentos muito pouco abonatórios para a pessoa que supostamente representa?
É sempre tão fácil e gratuito ofender, diminuir a integridade de quem se afirma, não é, caro anónimo?
E o que dizer da sua total descoragem, cobardia, ignomínia e estupidez.
Afinal, diz tão mal das novelas Mexicanas mas não se cansa de as procurar. Provavelmente é mais um dos que crítica aquilo que mais gosta. Palhaçadas!!!
Faça um favor a si próprio e remetasse à sua mesquinha ignorância, ou então, qundo for Homem para isso, assuma as suas posições contestatárias, apresente factos que contestem o que tem sido escrito e assim, sim, temos motivos para partilhar consigo as nossas anuências e deixarmo-nos de manigâncias.
Aproveito para lhe desejar as melhores felicidades em meu nome pessoal e incentivá-lo a mostrar-se, a tirar a máscara.
Senão, só vem dar razão às críticas aqui tecidas ao comportamento da mãe. Cobarde, injusto, insensato e retrincado, características de quem não sabe o que quer ou só quer o mal para os outros.
Onde fica o Gonçalo no meio disto tudo, é capaz de responder?
Aproveite e ligue a TVI é mais do seu gosto, estou certo...

ilda disse...

Sérgio
Continuamos contigo!
Força Amigo!
Beijos!!
Ilda