quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

"Quem espera desespera!"

Para aqui escrever tenho que sentir vontade de desabafar, de conversar, de ser “lido”, de me fazer ouvir. Ultimamente não me tem apetecido pensar sobre o que será a minha vida daqui para a frente. Estou cansado de lamentar a minha falta de sorte, cansado de olhar para a inexistente justiça portuguesa e completamente exausto de me sentir uma vítima. Em boa verdade, por mais que observe o tanto que tenho à minha volta, por mais que me sinta feliz com a chegada do João e com tantas presenças amigas e carinhosas nada me parece suficiente para eliminar de uma vez o enorme fosso no meu coração.
Continuo sem uma só notícia do Gonçalo! Pior…sei que a mãe do meu filho ainda está em Portugal mas idêntica informação não tenho em relação a ele. A dúvida e a incerteza provocam-me uma enorme angústia e um arrepiante mau estar. Tenho imensas saudades do Gonçalo e de tudo o que ele consegue de mim. Gostava de olhar para o espelho e encontrar a leveza, a serenidade e o brilho que tenho quando o meu filho está perto, seguro e protegido. É insuportável o medo de que ele possa estar mal, de que ele possa julgar-me mal e acreditar que não o procuro. Todos os dias, todos sem excepção, me lembro de momentos que passamos juntos desde que ele nasceu até ao passado dia 2 de Janeiro.
Gostava de chegar a casa e olhar para a minha família sem a sentir incompleta, mutilada pela falta de alguém.
Já reportei ao processo de regulação do poder paternal o incumprimento de 28 de Janeiro! Aguardo que o Senhor Juiz profira uma decisão. Dia 12 de Fevereiro lá estarei, uma vez mais para a dita conferência que vem sendo adiada ou, como dizem os juristas, suspensa desde Julho!

17 comentários:

Elisabete disse...

Eu faz-me confusão como é que tudo permanece na mesma sem k as entidades competentes façam os seus deveres que é, sem sombra alguma, assegurarem de uma vez por todas que o Gonçalo fique sob os teus cuidados!
Sinceramente, acho k eu não teria a tua "paciência", mesmo entendendo k estás a evitar situações k possam prejudicar futuramente o teu filho.
Não há outras situações k entretanto que possas iniciar tendo em vista conseguires ter o Gançalo em casa, contigo?
Num blog de uma jornalista, pedi k viesse aki (espero k me desculpes), mas realmente esta situação é deveras injusta para ti e para o teu filho.
Começo a concordar k a mediatização dos casos é k levam as entidades (in)competentes a fazerem alguma coisa...
Beijinhos, força e tudo a correr bem com a mamã e o João:)

Nós os cinco disse...

Ola Sergio
Espero que dia 12 se resolva tudo de uma vez por todas.
Força

Maria Carloto disse...

É inadmissivel que a conferencia não se realize só pq a mãe do Gonçalo não aparece...! Se ela fizer isso até o Gonçalo for maior de idade vão suspendê-la até la? Bate o pé para que se realize com ou sem ela! Se ela n quer estar presente que envie um advogado a representá-la! Se ela não está interessada nos direitos e no bem estar do teu filho tu já mostras-te que estás e ela não tem qualquer direito de faltar smp e à vontade da senhora adiarem smp... Vê o que podes fazer em relação a isso... Parece-me que o sr Juiz tb não quer ter trabalho =\ Se tiveres um advogado a tratar da situação faz com que ele pressione o tribunal!
Muita força! Em breve vais ter a familia mais completa que nunca!
*Bjito

Mar disse...

Eu já nem sei o que te dizer. Acredito que já estejas mesmo a desesperar. Sei que o irmão não vai substituir de forma alguma o Gonçalo, mas quando te sentires mais em baixo, pensa no João que está a crescer e que vai precisar muito do amor e serenidade do pai.

Força.
Bj.

Mamã da Rafa disse...

Como o compreendo, é realmente uma tristeza, p/ não dizer nada pior:((
Tomo conta de uma criança (há 1 ano e meio), minha sobrinha (a mãe faleceu e ela já estava comigo a passar férias, o que já era habitual, da qual já tenho Tutela definitiva há quase 10 meses. Tenho o Processo de adopção a decorrer, há 9 meses. E amanhã, sou obrigada pelo Tribunal, a levar esta criança a fazer testes de paterniadade, de um "suposto" pai, que NUNCA a quis nem a ela, nem ao irmão que eu também já tomei conta, durante 2 anos e que agora está com a avó paterna (contra a minha vontade). Mas esse tem desde que nasceu o apeido do pai. A Raffinha, só viu o suposto pai (o pai do irmao) uma vez na vida, e tinha meses de idade. Tomo conta dela desde que nasceu devido a problemas graves que a minha irmã tinha (e por isso o mano está na avó). Sinto-me terrivellmente injustiçada, porque sempre dei o meu amor e carinho aos dois. Para não falar em dinheiro. Tenho de 8 em 8 dias o direito de ir buscar o mano a casa da avó e traze-lo para passar o fim-de-semana, isto desde os 5 meses de idade do meni, e já vai a caminho dos 7 anos de idade. Pois, a avó desde que a mãe faleceu, nunca mais mo deixou trazer:(((( e diz à boca cheia que devo chamar a polícia, mas não acho bem fazer isso na frente de 2 crianças tão pequenas:(((
A Rafinha vai fazer 5 anos. Desde sempre que está habituada comigo. Nunca deixei de ir visitar o menino a casa da avó, visto que ela não mo deixa trazer. Agora vivo um pesadelo maior, o medo de perder a menina caso este senhor seja o pai e caso a queira. O menino está sempre a perguntar-me quando eu o vou buscar:(((
Doi-me a alma, sinto-me muito impotente apesar de amar estas duas crianças como se fossem meus filhos biológicos. Tudo isto para lhe dizer, que o entendo, infelizmente!
Espero, do fundo do meu coração que, consiga regular o poder paternal e que possa ver o Gonçalo crescer.
Tenho lido o seu blog em silêncio, quase desde o ínicio. Desejo-lhe boa sorte!

Força!

Cindy disse...

Como o compreendo... ainda se soubesse onde ele está... mas não sabe, não tem qualquer ideia... que raio de vida.
Espero que este 12 de Fevereiro traga, finalmente, alguma justiça e que essa sua ex-mulher, no mínimo, faça aquilo que lhe pedem.

Um abraço forte!

Anónimo disse...

Boa noite... e onde páram os direitos do Gonçalo?! O menino não terá o direito a ser ouvido, a vontade dele não conta? Que raio de país é este que não se importa de usar as crianças como objectos!??!? Magistrados... mães... pais... ouça... não estou a referir-me a si... mas sim a outros casos... você tem demonstrado ser um PAI em letras bem grandes... continue a sua luta pelo Gonçalo... não se esquecendo que a sua força para esta luta está na sua esposa e no filhote que vem a caminho... não se deixe nunca abater a 100%... quando se sentir ir abaixo... chore... grite... liberte a energia negativa que teima em se apoderar de si mas depois, limpe as lagrimas... seque a dor... erga a cabeça... e retome a sua luta... POIS O SEU FILHO SABE O PAI QUE TEM E NÃO DUVIDA DO SEU AMOR!
Cumprimentos de Maria & Companhia

Inezoca disse...

Não é a primeira vez que vejo uma mãe prejudicar um filho em nome de não-sei-o-que. No entanto da última que vi isso, o menino oas 14 anos de idade pdoe escolher e escolheu ficar com o pai.
É dificil expormo-nos nos media, mas eles tem muito poder. Quem sabe os poderá abordar e ver até que ponto a exposição pode compensar.

Shakti disse...

Depois de te ler este tempo todo cada vez acredito menos na justiça Portuguesa ...não te quero decepcionar ...mas já me custa acreditar...infelizmente ...

bj

Eu disse...

Não sei o que dizer.
Apenas que espero muito sinceramente que dia 12 finalmente a justiça funcione.
Até lá força.

Um abraço

Liliana disse...

Sergio ja nao sei mais o que te dizer, so que estou FARTA da M.... de justiça que temos...nao ha direito, nao ha mesmo, raios partam a tua ex-mulher, o tribunal, o juiz, todos os que estao a fazer-te sofrer, nao e justo.

Beijinhos grandes para voces

Go disse...

...

Cláudia, Pimpo e Pimpa disse...

Força, ok?

Bjs Cláudia

Carla disse...

Olá, eu li o teu blog e posso dizer que fiquei bastante emocionada. Eu nunca conheci um pai tão dedicado e carinhoso e q o soubesse expressar.
Na verdade o que a mãe do teu filho está a fazer é maldade, o teu filho não tem culpa das vossas zangas e muito menos ser prejudicado por isso. Ele precisa de um pai como tu e de uma mãe, mas para dizer a verdade ela não é mãe nenhuma, uma mãe quer o melhor para o seu filho e não o que ela lhe está a fazer. Ela está a tirar a estabilidade toda a criança e mais está a tentar vingar o odio dela no menino, porque tu podes sofrer mas ele sofre muito mais.
bjs doces

Anónimo disse...

Olá, não te conheço e entrei aki por acaso, mas não pude deixar de ler e digo-te somente k apesar de a justiça no nosso país funcionar devagar... devagarinho e isso ser mau o pior é os pais usarem os filhos como armas para fazer frente ás suas frustrações. E como mulher e mãe digo-te k isso é uma situação triste tu kereres e não deixarem k tenhas contacto com o teu filho, pois infelizmente na maior parte dos casos k conheço os pais após uma separação deixam de ter interesse ou kerer ter alguma participação na educação dos filhos. Fica bem e não te eskeças a esperança é a ultima a morrer e o amor verdadeiro vence todas as barreiras.

Viva La Vida disse...

Força Sérgio!
Não desistas.. é dificil encontrar uma palavra reconfortante com tudo o que tens passado..
força, mais força.
Beijos

Anónimo disse...

continua a lutar.todos nos sabemos a porcaria de justica que portugal tem mas nao desista!se o goncalo fosse britanico de certeza que as autoridades portuguesas ja se teriam mexido mas...abraco de inglaterra continue justica sera feita