quarta-feira, 2 de julho de 2008

Cansado!

Hoje sinto-me especialmente cansado e desanimado. Aproxima-se a passos largos o dia da conferência de pais mas eu, sinceramente, tenho quase a certeza de que a mãe do meu filho não virá a Portugal na próxima semana. Resta-me a possibilidade de se fazer representar por advogado e, caso assim seja, posso manter o meu desejo de dizer aos senhores magistrados o que se está a passar. A ver vamos..
Continuo sem conseguir falar com o meu filho! Sempre que os meus pais telefonam ela atende e passa o telefone ao Gonçalo mas, quando sou eu rejeita as chamadas, não as atende ou, simplesmente me desliga o telefone.
Hoje sinto-me tão cansado! Não tenho dormido bem e começo a denotar alguma fadiga. Nesta fase da minha vida, em que tenho tudo para me sentir "cheio" faz-me tanta falta o abraço e o sorriso do Gonçalo.
Sei que ainda vai passar algum tempo até que eu o volte a ver mas, como o meu amor por ele é de sempre e para sempre, não desisto.
Obrigado a todos pelo apoio e pelo carinho.
Sinto que não estou só!
Um abraço

12 comentários:

Anónimo disse...

Tudo na vida tem o seu tempo,
as suas causas e razoes.

Seja qual for a razao para tudo isto estar a acontecer eu acredito
que vai se resolver.

O Goncalo é forte alegre positivo
de bem com a vida e com ele mesmo.

E é com essa forca de esperanca que alimentamos as nossas saudades.

Um beso enorme da tita kiko e vi.

Kelly disse...

O que é preciso é não desanimar!!! Mas que estupidez a da mãe! Não precisam de se dar bem, mas o suficiente para se entenderem por causa do Gonçalo...
Força! Nós estamos por aqui!!!

Belita disse...

Pensamento positivo! Muito positivo! Estou a torcer por ti.
Obrigada pela visita ao meu blog.

Um grande beijo

Isabel

Mar disse...

Então, há que não desanimar! O Gonçalo merece tudo, embora a mãe não pense bem assim, não é? Não pensa que em 1º lugar deveria estar o Gonçalo.

Mas ele tem um Super Pai!

Força!

Maria Alexandra Martins disse...

Às vezes chega o cansaço, o desânimo, a angústia...Por vezes sentimos que nos faltam as forças...
Mas, tu sabes e eu também...nós temos uma força a dobrar, tu contas com a minha e eu conto com a tua. Além disso, ambos contamos com a força dos nossos amigos e das nossas famílias.
É normal sentir cansaço mas...não vais desanimar e eu não vou desistir!
Um beijo, bem grande
it a oma

filipa disse...

Olá Sergio,

Então que desânimo é esse? Vá lá ... agora não te podes ir abaixo, precisamos de ti com força e energia para fazeres valer os teus direitos bem como os do Gonçalo na conferência. Eu sei que todo este processo é desgastante ... não mata mas moe, e há dias em que basta uma simples contrariedade para que nos sintamos completamente vulneráveis .. para que nos sintamos sem força e sem esperança. Afinal sentirmo-nos injustiçados não é fácil ... é muito duro e revoltante. Infelizmente acabamos por andar em luta connosco próprios, parecendo que metade de nós está prestes a cair e a outra parte luta para que isso não aconteça, para que não permita a nossa desistência. O problema que te/Vos envolve não é passível de desistências! Vá, não esmureças, tens de acreditar que é possível .... tens que fazer ouvir o teu grito de revolta e indignação. Nós estaremos aqui a torçer para que a justiça seja feita e que tu possas ter a alegria e felicidade de teres o teu filhote perto de ti!

Aceita abraço acompanhado de votos de muita fé e coragem!!!

Anónimo disse...

AMIGO!!
Por favor aguenta!
Já passei por esses momentos de fadiga, desespero, vontade de desistir..mas.. sempre tive AMIGOS muito especiais que me abanaram e que me ajudaram a continuar a lutar!
Hoje estou aqui junto de todos os que te querem bem para "berar" contigo: Força! Não vais desistir! Nós não vamos deixar!
Nunca vais estar só!
Não te vamos dar sossego!
E sabes porquê?
Porque acreditamos que vais vencer!
Tal como eu estou a vencer!!
Um abraço bem Forte!
E não te esqueças vamos ganhar!
Beijos
Ilda

gosto-muito-de-voce-leozinho disse...

na primeira regulação do poder paternal o pai pediu para eu não viver fora do pais...e o juiz aceitou.

G_ticopei disse...

Aproveita para falar com ele quando os avós ligam...Se ela a eles atende o telefone, aproveita essas alturas para também falares com ele. Força e não desistas...

Luis Pinto disse...

Eu também!...
Contudo, Hoje dia 3, quando me encontrava deitado com o meu filho, antes de me levantar deixei-me estar a olhar para ele! Só me corria um pensamento: se me deixo ficar aqui deitado, não o consiguirei ajudar!...Perderei tudo!
Tive que arranjar forças para me levantar, caso contrário ainda lá estaria a esta hora!...
Mas como sei que a vida não é fácil, confesso que amanhã não saberei se terei as mesmas forças do dia anterior!...
Resta-me acordar e continuar a lutar!...
Um abraço

Anónimo disse...

Caro Amigo,

Tenho 2 filhas do meu 1º casamento e pelas quais tenho passado as maiores provações. Tenho ganho tudo em tribunal mas hoje em dia já peço à Juíza para não multar mais a minha ex-mulher, pois também sou eu que lhe pago a pensão (para além da pensão das minhas filhas que com todo gosto pago) e assim sendo estou eu a ser multado. Ela ignora as decisões dos tribunais, não comparece, manipula as minhas filhas contra mim, etc. Já fui agredido pela família dela...enfim.
Infelizmente continuamos reféns destas mães (leia-se mulheres, pois de mães nada têm) que sofrem de uma impunidade escandalosa. Sei por experiência própria (e acredite que sim !) que é preciso um estômago enorme para conseguir suportar tudo isto, mas quero acreditar que um dia as minhas filhas (e o seu Gonçalo) saberão reconhecer o esforço do Pai. Pena é que quando esse dia chegar a infância delas já passou. Quando meu pesadelo começou, a minha filha mais nova tinha um ano...este ano faz 6 !!! Continuo a amá-las da mesma forma que sempre amei e só me divorcei da mãe delas...nunca delas !!! Um dia elas reconhecerão o meu esforço e amor por elas. Pena que esse dia não seja hoje...
Um grande abraço e muita força. Desistir é tornar orfãos os nossos(as) filhos(as)!!!
AR, Pai das filhas mais lindas do mundo.

Guguinha disse...

Olá, não pude deixar de ficar comovida a ver o teu blog.Sou mãe e felizmente o meu marido está comigo, mas se me acontece-se o mesmo ,lutaria até ao fim dos meus dias pelos meus filhos. Tenho colegas em situações parecidas, sei o quanto é dificil, tens todo o nosso apoio.Beijinho grande, Guguinha