quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Onze meses...

No próximo dia 21 de Setembro fará onze meses desde que não vejo o meu filho Gonçalo!
Estou exausto e completamente desacreditado. Choco-me com a ausência de uma decisão e com a aparente calma de todos os restantes intervenientes.
Finalmente compreendi os pais que, em cenários idênticos a este acabam por desistir e ficar, eles próprios parados, à espera que, um dia, quem sabe, os filhos os procurem! Não serei assim!
Estou desgastado, cansado de procurar uma solução justa e equitativa mas, por mim e pelo meu filho, pela nossa família, não desistirei até que sinta estarem assegurados os nossos direitos e, sem prescindir, os nossos deveres.
Sinto imensas saudades do meu filhote. Há dias em que acordo e tremo ao imaginar que nos podemos esquecer um do outro mas, basta-me fechar os olhos para, de imediato me recordar de todos e de cada momento. Nunca vou esquecer um só pormenor do Gonçalo e, por mais que o mundo conspire contra, nunca o Gonçalo me esquecerá. Não me esquece nem a mim e nem a esta família que tanto o adora.
Por aqui continuamos a viver sem desistir de nada. Todos os dias pensamos no Gonçalo, conversamos sobre a forma de proceder, preparámos o dia em que ele vai voltar de Angola, mas, naturalmente, de uma forma racional, continuamos a viver!
Escrever neste blog, ler as mensagens que me deixam, acompanhar outras vidas, tem sido, confesso, um grande alento.
Às vezes fico sentado em frente ao computador com imensa vontade de escrever, de contar as minhas coisas, de dizer como temos sofrido com a ausência do meu filho. Às vezes tenho vontade de gritar, de vos contar como me sinto vítima de uma injustiça. Às vezes tenho medo…
Ultimamente não sinto raiva, não sinto mágoa. Ultimamente só penso no dia em que o meu filho vai voltar a viver, usufruindo da companhia de todos os que o amam.
Continuo sem conseguir contactar o Gonçalo. Notícias: zero! Como sempre, para não variar. Aguardo pela justiça divina.
Sei que o irmão mais novo do meu filho voltou a Portugal na companhia dos avós paternos. Isto é, permanece longe dos pais…
Um forte e sincero abraço a todos os que me acreditam e me acompanham. Obrigado pela força. Bem hajam

10 comentários:

Liliana disse...

Ola Sergio e Xana. Nao sei bem o que posso dizer...e uma situaçao de uma injustiça extrema, privar pai e filho de estarem juntos, de partilharem o dia-a-dia um com o outro, Pai nao serve so para deixar a sementinha, Pai e aquele que tem que estar la junto do filho, e isso e o que mais queres, mas contra a tua vontade nao te permitem...acredito que em breve vais estar com o Gonçalo e vao se abraçar num momento longo de ternura e amor como so Pai e Filho o sabem fazer...
Desejo-vos as maiores forças para lutarem por uma causa que e vossa.
Um beijo a Xana e um abraço ao Sergio

Shakti disse...

Um dia toda esta situação deixará de existir e terás o teu filho ao pé de ti ...tem esperança ...nunca a deixes morrer!!!

bjs

filipa disse...

É triste ver que todos os dias contam, que passam a uma velocidade vertiginosa, e que as pessoas com poder para alterar esta injustiça nada fazem!!!

Caramba, eu já sabia que a justiça dos tribunais era lenta ... nunca pensei foi que alastrasse à justiça divina!!!

Gostava de te deixar uma palavra de apoio ... mas já não sei o que dizer!!!

Beijinhos ... e coragem!!!

Mamã e Tesourinhos disse...

Compreendo o teu desânimo. Estamos sempre a lutar contra a maré e parece que nunca mais chegamos a porto seguro.
Força para continuar a lutar.
Fiquem bem.
Bjs.

Mar disse...

Tinha esperança que as notícias fossem mais animadoras, que tivesses falado mais vezes com o Gonçalo, mas parece que continua tudo na mesma.
Impressionante como tens de lutar por um direito que já é teu e mesmo assim ninguém o reconhece.
Impressionante também a tua força e determinação. Claro que por um filho faz-se tudo, mas como escreveste, tantos são os pais que desistem por verem frustradas as suas tentativas de aproximação para com os filhos.

Continua a lutar pelo Gonçalo que, certamente, mais cedo ou mais tarde, conseguirás ganhar essa "guerra"!

Beijinhos

Anónimo disse...

amigo, não tenho palavras..este filme não parece ter fim. Aguenta-te! nestes ultimos 5 anos de luta, provaste a todos o quão forte és!

Continua, força, coragem e muito amor...


Ricardo

Anónimo disse...

ha-des esperar....lol

Anónimo disse...

Se não fosse tão triste observar que existem pessoas más, teria imensa piada! Caro anónimo, a maldade que escreveu tem um erro de português chocante: "ha-des"!!! Pois bem, da próxima vez por favor escreva "hás-de". Compreendeu? Aprendeu? Não sendo possível ensinar-lhe valores morais que, naturalmente deveriam decorrer de uma vida desde a infância pelo menos, cuide, com este ensinamento aprender mais uma palavra!
Fique bem e nunca se esqueça "Não te rias do teu vizinho porque o teu mal vem a caminho"

Maria Pinto

Anónimo disse...

Como é possivel que perante uma situação assim, perante umas pessoas tão abertas e boas, ainda existam pessoas, ditas "anónimas" que escrevem coisas como acima!! fico chocada com a maldade e falta de carácter. Enfim..
Coragem e muita força.
Rita

Viva La Vida disse...

Mas esses(as) ditos «anónimos(as)» tem uma missão! Eles ajudam, a quem ainda possa duvidar do carácter do Sérgio, eles ajudam a quem está de fora e possa ter as suas dúvidas! Porque só uma mente muito atormentada e perturbada, vem aqui comentar, vem aqui responder!
Não é ninguém que está de fora, mas sim alguém que sabe muito bem quem é o Sérgio, muito provavelmente até onde está o Gonçalo.
Enfim.

Força Sérgio.

A verdade compensa.
E a vida, mais cedo ou mais tarde, encarregar-se-á de mostrar a quem de direito qual a diferença entre o bem e o mal.

Continua a lutar.
O Gonçalo é teu. Para Sempre.